terça-feira, 24 de março de 2015

Sobre o blog


Quando eu criei o blog, 04 anos atrás, as postagens eram diárias.
Com o passar do tempo vi que não conseguiria postar diariamente, então optei por aparecer aqui nas segundas, quartas e sábados.
Estava dando certo... estava.

Entre as tantas responsabilidades da vida, o blog vai ficando para depois, para mais tarde e as frequências das postagens por aqui estão caindo, como vocês tem percebido.
E eu me cobro pela minha ausência.

Não penso em parar com o blog, mas não quero cobranças da minha parte.
Então resolvi que as postagens acontecerão quando der.
Sem cobranças, mas com o amor e o prazer de ser uma blogueira cercada de gente do bem ♥

Não deixem de passar por aqui.

Com amor,

Aline

terça-feira, 10 de março de 2015

Porque você




Entre vários carinhos que venho recebendo desde que a Elis nasceu, nesta semana recebi uma mensagem que me deixou profundamente emocionada...

"Caracaaa... Vcs estão de parabéns. A Elis, é perfeita. É uma benção. Agora podemos entender, pq não aquela vez, e sim agora. Deus te quis o melhor. E é com ela."

Sem palavras.

Completamente emocionada.

Completamente feliz.

Obrigada, minha filha, por me proporcionar o melhor de todos os sentimentos.

Te amo!


segunda-feira, 2 de março de 2015

Ano de mudanças



Há um ditado que diz que a dúvida corrói. Para ansiosos, como eu, que lutam contra uma natureza preocupada, ficar em dúvida beira o martírio. Mesmo quando a dúvida é boa. Sabe aquela história de quando o problema é bom? Que todas as alternativas parecem interessantes e podem render coisas legais e alegrias no futuro? Pois é... Claro, melhor do que ter que tomar decisões dolorosas. Mas o problema bom também angustia um pouco. Afinal, como saber se a escolha tomada é de fato a melhor?

Realmente 2015 está sendo um ano inovador para mim... além da presença da minha filha, é claro, muita coisa boa tem acontecido! O difícil é a coragem para encarar tudo isso. Confesso que sou um pouco medrosa com mudanças.

Simplesmente, fico na dúvida em como agir, principalmente quando tenho que tomar algumas iniciativas. Talvez intuir? Perceber alguns sinais, que nada tem a ver com o esotérico, mas que casam melhor com nossos valores, crenças, desejos sinceros e sonhos escondidos? Vale também quando a escolha é dura. No fundo, a gente sempre sabe a resposta. No fundo, os sinais estão sempre lá.

A questão é que por vezes os sinais vêm encobertos por uma “névoa”. Alguma confusão. Então, a saída é fazer acontecer. Sou super a favor da gente batalhar pelo que quer. E é isso que vou fazer, é isso que preciso fazer.

Decisões, iniciativas, mudanças.... 2015, esse é o ano!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Um viva ao primeiro trimestre


Acreditem, minha bebezinha já completou 3 meses!
Nossa, como o tempo passou rápido! E agora a vida vai ficando mais tranquila!
Aos três meses, a Elis já dorme a noite toda! Tá certo que ela vai dormir tarde, mas quando pega no sono, só no outro dia mesmo!
Ela olha para a gente e dá aquela deliciosa risada, que manda embora qualquer tipo de irritação. Está curtindo o banho como se fosse um playground, e também já percebe música. Ela também se derrete para o pai, basta ouvir sua voz, e já fica toda derretida. Ahhh ela é capaz de enfiar quase a mão inteira na boca.
Agora aquela carinha de bebê RN, já vai dando espaço para uma bebê alegre e tranquila, que já começa a mostrar sua doce e forte personalidade.

Aos poucos, a vida está voltando ao normal. Aos poucos, eu voltei a caminhar, a sair para um ou outro restaurante, a ter uma vidinha mais social.
E assim ela está evoluindo, cada dia apresentando uma nova conquista.

A Elis olha para gente como se quisesse falar sem parar. Fala ahh, ohhh, arhgggg, guuuuuu e olha com carinha de interrogação do tipo "Não tá me entendendo?". Se fazemos alguma palhaçada (nisso sou craque), ela dá uma risada gostosa, daquelas que faz até barulhinho...

Ter um bebê em casa, aos três meses, é muito mais delicioso do que trabalhoso. Curtir essa rotininha meticulosa é bom para colocar a gente no eixo. Acordar às seis horas e não voltar a dormir, tem lá suas vantagens (ok, estou olhando pelo lado bom, tá?)

E o importante é que a Elis, começa a marcar espaço no nosso ninho. E acompanhar essa evolução, é BOM DEMAIS!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Ser mãe é MARAVILHOSO


Como estava com saudades desse meu espaço....
Mas a vida de mãe me consome!
Estamos bem, na correria da nova vida, nos adaptando à nova rotina. Tão bom dormir e acordar ao lado da minha pequena. Elis completou 2 meses no último dia 17 e já mostra um pouco de sua personalidade com o passar dos dias, observadora, tranquila, sorridente, muito sorridente. Aliás, já começou a dormir a noite toda, adora ficar na sua cadeirinha de descanso, ama banho demorado e dormir! Minha filha é muito abençoada.

A minha vida deu um giro de 360° em 2015!

Dormir tarde todos os dias com hora pra acordar. Acordar todas as noites sem hora pra voltar a dormir. Mil refeições interrompidas. Festas e eventos perdidos. Cabelo mal cuidado, unhas por fazer, olheiras fundas. Toneladas de roupas sujas por dia. Não conseguir tomar banho e ir ao banheiro na hora que bem entender. Estar em segundo plano na sua própria vida.

Oferecer de 6 a 7 mamadeiras de 30 minutos por dia. 8 a 10 trocas de fralda de 8 minutos cada. 2 banhos de quinze minutos cada (só aí fecharam 5 horas e meia). Trocar de roupa, brincar, estimular, distrair, ensinar, educar. Levar pra ver os cachorros, tomar banho de sol, passear na praça. Cuidar. Cuidar. Cuidar.

Ter duas opções: uma casa organizada não que te permite viver a vida, ou viver desencanada em uma bagunça (isso porque tenho uma mãe que me ajuda muitooooo).

Passar o dia sem desligar um segundo.

Depois de 2 meses, concluí que mesmo assim, ser mãe é maravilhoso.

Repito. Ser mãe é maravilhoso. Maravilhoso é o amor imenso e fora do normal, que me leva fazer TUDO isso – com disposição e boa vontade – e me faz sentir o ser mais feliz e completo do mundo. O que eu ganho em troca? Sorrisos, gargalhadas e a oportunidade emocionante de acompanhar sua evolução. Parece pouco perante o trabalho que dá. Mas quem é mãe, só que é mãe, sabe que esse é o amor na sua forma mais simples e verdadeira. Que preenche tudo e me faz dar um sorriso, todas as manhãs, ao acordar e ver a pessoa mais importante da minha vida.

Um beijo

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

E que venha 2015


O ano de 2014 me surpreendeu de todas as formas. Sério. Comecei o ano de um jeito e agora tô entrando em 2015 totalmente diferente.
Eu nunca imaginei que iriam acontecer tantas coisas surpreendentes em minha vida. É tão engraçado quando a gente para pra pensar nisso, né? Mas enfim...

Esse ano foi, sem dúvida, o ano da gratidão.

O ano em que realizei o sonho da maioria das mulheres, que é o de ser mãe. Também trabalhei bastante, e nunca tive tanta resposta profissional em termos de credibilidade, crescimento e carinho.
Gratidão também pelas pessoas que entraram na minha vida, e que me mostraram que cada carinho e atenção, valeram a pena.

Uma coisa é certa: tenho que agradecer muito a Deus por esse ano. GRATIDÃO!

Um obrigada enorme a todos vocês que acompanharam o blog. Me emprestaram os olhos e o peito, e eu coloquei aqui e acolá um pouquinho da doçura (e tristeza) que a vida oferece, porque viver é bem isso mesmo: uma montanha russa de sentimentos e sensações.

E que venha 2015. Que a fé se multiplique, a atitude viralize e que o ano surpreenda!

Que em 2015, acertando ou errando, fazendo as duas coisas, sei lá... que a gente VIVA e CELEBRE os pequenos presentes diários.

São os votos dessa nova família que se formou em 2014...

Aline

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Esteja presente


E lá se vai dezembro! Mês de correrias, de finalizações, de festas, de listas, de presentes, de férias. Ufa.

E, justamente, por conta de todo esse corre corre típico de final de ano, hoje vim propor um exercício diferente. Um exercício difícil, que necessita de atenção, dedicação e comprometimento: o de estar presente.

Confesso que estou sempre escrevendo sobre esse exercício porque eu mesma sinto muita dificuldade quando preciso estar presente, de fato, em algum momento, principalmente agora com a chegada da Elis. Ou estou pensando no que preciso fazer a seguir ou estou respondendo algum e-mail no celular ou estou “pré-ocupada” e depois fico imaginando quantos detalhes já perdi de encontros e de instantes, porque não estava de corpo inteiro, de alma, naquilo que estava vivendo e que, obviamente, não voltará mais.

Gosto muito de uma história que me foi contada e que tem relação com essa correria que vivemos diariamente (e que se multiplica nessa época do ano), que nos priva de degustar o “presente do presente”. Como eu não a achei da forma como me foi contada, vou lhes contar com as minhas próprias palavras.

"Certo dia, um índio viajou de trem pela primeira vez na vida. Ao chegar ao seu destino, a última estação do trem, ele desceu, se sentou num banco e ali ficou por horas a fio, sem se mover. Um senhor que trabalhava por ali, intrigado com aquele índio sentado há horas no mesmo banco, aproximou-se e perguntou o porquê dele estar ali sem fazer nada. Então, o índio, com aquela calma, típica dos serenos, respondeu que ele não estava sem fazer nada. Que como a viagem tinha sido muito rápida, ele estava esperando a sua alma, que ainda não havia chegado."

Sempre que me atraso e chego esbaforida em algum compromisso, lembro dessa história. Então, quando é possível, peço licença, sento, respiro, me concentro e espero minha alma chegar também. Sem ela, corro um sério risco de não estar presente naquele momento, de fazer escolhas precipitadas, de falar o que eu não devo.

Portanto, é esse o convite que venho lhe fazer nessa reta final de 2014. Que estejamos presentes naquele presente, naquele instante. Se precisar, esqueça o celular, desligue a televisão, ignore aquele seu lado perfeccionista, tagarela, cheio de demandas camufladas de urgentes. O que é importante, de verdade?

Como esse texto, aproveito para lhe desejar um lindo Natal, muitas reuniões ao redor de uma mesa farta de familiares, muitos momentos preciosos, muito tempo para degustá-los, muita calma e muita alma!

E que venha 2015!