quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Aprender pelo que não foi. A melhor solução


Fiz o melhor que poderia por tudo que não foi: Revi meus conceitos.

Pra cada gosto musical criticado, ouvi uma nova banda. Pra cada livro considerado medíocre já lido, outros, de autores novos, foram adquiridos. Pra cada pensamento "pequeno" em mim destacado, a procura de "como deveria ser" foi aguçada.

O resultado disso tudo não veio num cavalo a galope, muito menos num carro importado. Vem em cada amanhecer que presencio com um olhar diferente. Vem no incomodo pelo desejo da mudança. Vem no quase angustiante desejo de acertar.

Não permitir que tenha sido em vão cada bofetão foi a melhor forma que encontrei para agradecer àqueles que mesmo em meio tabefes, nos fazem crescer.

Se permitir mudar de opinião não é ser maria-vai-com-as-outras, é não se condicionar a ficar parado na vida e no tempo eterno da estupidez.

"Só os mortos ou os tolos nunca mudam de opinião."

2 comentários:

  1. Concordo com você, mudar as vezes é preciso sim...

    ResponderExcluir
  2. É necessário, né amiga! bjaoo querida

    ResponderExcluir